A Brigada Militar e as férias


A notícia de que a Brigada Militar da minha cidade está realizando uma operação de verão ressuscitou uma triste lembrança. Há um ano eu perdi a minha carteira na frente da minha casa. Fui perceber o ocorrido apenas na manhã seguinte, quando um rapaz entrou em contato comigo perguntando se eu estava interessado na carteira e se ele poderia ganhar “algum” de recompensa. Naquela altura pensei até em recompensar o rapaz por ter encontrado meus documentos e toda a parafernalha que se tem dentro de uma carteira.

Mesmo assim, tratei de ligar para a Brigada Militar para me informar sobre como eu deveria proceder, tendo em vista que ele me pediu dinheiro pela carteira, fato que caracterizou “extorsão”! Resumindo a história: algumas horas depois o delinqüente me ligou e disse que iria queimar a minha carteira com tudo que tinha dentro porque eu havia ligado para a polícia.

“Espera aí! Como você sabe que eu entrei em contato com a Brigada?”, perguntei eu.

Ele me respondeu que tem um amigo lá dentro e que ele teria ligado para essa mais delinqüente ainda pessoa para saber se alguém teria dado queixa do sumiço de uma carteira. “Eu trabalho como segurança meu velho, não posso ter queixa na polícia!”, retrucou ele na última conversa que tivemos. A esta altura eu já havia bloqueado cartões e encaminhado boletim de ocorrência, mas o trabalho e o custo para refazer documentos pesaram. Fora isso, ficou a indignação de saber que bandidos como esse estão aí fora cuidando de residências e empresas. Essas mesmas pessoas serão aquelas que voltarão com uma máscara no rosto e uma arma na mão.

Depois de contada esta história eu pergunto: você acha que eu vou ligar para a Brigada Militar e avisar que eu estou saindo de férias? Por incrível que pareça, quanto mais longe eu estiver dessa gente, MELHOR!

Anúncios