A different post


These days I was thinking about what I could do with this blog. I mean, the last year I wrote about 80 posts which received a good response, but this is not enough to a place like this. This blog is not as famous as the other ones, and mainly because of this I don´t really care if there are a lot people around here reading my texts. I really like when someone came to me and talk about some idea that I expressed here, but this kind of thing doesn´t happen so frequently so I keep using this tool to improve my ability to organize my ideas and express what I think about usual things that happen around me.

Today, I realized that I could use this blog in a different way. I am keeping studying English and from now I will start to write my posts (not all of them) in a second language. I have to tell that this is not a promise. I´m not going to put a “goal”, but I will try to improve my foreign language here as well.

So, that´s enough for now. I need to say that probably I will make a lot of mistakes and when this happen I really want that you tell me so I can fix it and keep learning.

See you son guys. I will try to think about the subject of the first real English post.

Have a good week! We keep in touch!

Cuidar do que restou – Enchentes RS


A força das águas transformou a vida de milhares de pessoas afetadas pelas enchentes nos últimos dias no interior do RS. Marques de Souza, uma pequena cidade às margens do Rio Forqueta, transformou-se exemplo de como as chuvas estão castigando cada vez mais a Região Sul do Brasil.

Respeitando as proporções, pode-se dizer que o que ocorreu no Vale do Taquari é o mesmo que atingiu os moradores das áreas atingidas em SC no final de 2008. A forte correnteza arrastou casas e destruiu histórias, mas felizmente eu pude perceber que nestes momentos a comunidade reúne-se em torno de um objetivo comum e a solidariedade fala mais alto.

Dias após as enchentes que arrasaram com uma comunidade é possível verificar casos interessantes, como do homem que resolveu doar uma geladeira para quem já não tinha mais nada, ou então do empresário que disponibilizou todos os produtos necessários para que seu cliente possa recomeçar o seu negócio após ter perdido tudo.

Casos isolados como esses ensinam com exemplos o quanto cada um é dependente um do outro e como simples atos podem transformar a vida das pessoas. Gostaria que todas estas pessoas que se sensibilizaram continuem ajudando as comunidades afetadas porque reconstruir uma vida a partir do zero é muito mais do que receber apenas roupas novas. Esse processo vai exigir muita energia e quanto mais indivíduos toparem o desafio mais cedo as comunidades afetadas conseguirão limpar a lama que as enchentes trouxeram para suas vidas.

Confiram uma reportagem realizada pela equipe da Univates: