O Estado que arrecada muito e gasta MAL


Nos últimos tempos começamos a discutir, ainda que de forma tímida, o peso que o Estado exerce em nossas vidas e quanto o custo disso nos atrapalha. De modo contrário àqueles que defendem que o Estado deve intervir em todas as esferas da sociedade, os corajosos que discutem a diminuição do Estado na vida das pessoas fizeram as contas e perceberam que o Governo não tem a capacidade que ele julga ter para ajudá-las, mas sim, um profundo desejo de interferir e ATRAPALHAR todos os aspectos da sua vida.

grande-i_conse_intro_5Para que ele consiga atingir esse objetivo ele nos cobra de forma incansável, de todas as maneiras que ele consegue imaginar.

A verdade é que o Estado tem uma criatividade incrível quando se trata em arrecadar. Ele se intromete em tantos aspectos da sociedade e, consequentemente, comete tantos equívocos que precisa inventar uma série de entraves com um único objetivo: ARRECADAR.

O Estado não arrecada para prover serviços melhores para a sociedade. Ele arrecada justamente com o objetivo contrário: manter a ineficiência e a morosidade dos serviços públicos. Se o Estado quisesse ajudar a sociedade ele daria um (ou vários) passos para trás e aceitaria a ideia que não pode se meter em tudo, só que isso, de certa forma, tiraria o “poder” que embriaga os governantes. Tiraria a força que eles mais apreciam: a de poder oferecer cargos para os amigos e em seu imaginário manter o sonho de ficar ali para sempre. Transformar o Estado em uma máquina eficiente, no final das contas, não dá dinheiro!

As pessoas precisam entender que quem paga a conta, SEMPRE, é o povo. Precisamos entender, mesmo que de forma simples, que um Estado que tenta interferir em tudo não consegue executar NADA. A partir do momento que começarmos a ter consciência desse fato escolheremos melhor os nossos governantes e, devagarinho, poderemos avançar nessas questões. Não será do dia para a noite, mas me assusta o fato de que ao invés de andar para frente estamos em marcha ré e acelerando.

Anúncios

Percepções a respeito do ambiente empresarial


Conhecer a legislação tributária do país é mais do que uma vantagem, é uma obrigação se você quiser sobreviver
por Rafael Zanatta

se vira com tudo isso!

se vira com tudo isso!

Desde que eu assinei a Revista Exame não me lembro de ter visto uma edição que não expusesse de forma contundente a maneira como o ambiente brasileiro vem tornando-se INÓSPITO para a prática de negócios. Na última (25/03/2009), quatro páginas elucidam como os tributos transformaram-se no pesadelo de qualquer empresário ou executivo a frente de uma empresa.

Se o problema fosse apenas a ALTA taxa de impostos os brasileiros agradeceriam. O impressionante é que além de pagar um imposto equivalente a países como o Reino Unido e Alemanha os empresários brasileiros precisam dar um jeito de entender as mais de 3.200 normas diferentes que vigoram no país e organizarem-se no calendário de pagamentos (que para variar não é nada lógico).

Nessas horas eu me pergunto: Como algum ser consegue acreditar que o Brasil é um país que propicia condições necessárias para abertura de negócios?

Alguns dados:

– 70% do lucro das empresas vai para os cofres do Governo
– 2.600 horas, em média, é o que gasta uma empresa para preencher papeladas e calcular impostos
– O Brasil é PIOR que Rússia, China, Índia, Bangladesh, Egito e Azerbaijão.

montar uma empresa aqui, segundo o Banco Mundial, é mais fácil que no Brasil

montar uma empresa aqui, segundo o Banco Mundial, é mais fácil que no Brasil

AZERBAIJÃO!!! Algum de vocês sabe onde fica isso?

É por isso que eu fico p$%£ quando alguém me diz que o Brasil está crescendo, ganhando status mundial como uma importante nação e bla bla bla. Bullshit!!! Esses dias mesmo eu vi o nosso vice-presidente enfatizando que o Brasil hoje tem prestígio internacional, esquecendo-se porém de comentar que estamos perdendo competitividade em diversos setores por pura falta de vontade política.

Não adianta eu ficar estendendo muito a conversa porque senão ninguém vai ler. Espero que o recado esteja dado. Está mais do que na hora de elegermos representantes que trarão um ambiente mais sadio para a prática de negócios se quisermos manter nossos empregos. Da minha parte, vou utilizar esse espaço sempre que perceber essas verdades inadmissíveis!