Tomar decisões

Quando eu estava ainda nos primeiros semestres do curso de administração deparei-me com um professor de economia afirmando que “tomar decisões” é o maior desafio dos administradores e que aqueles cinco anos aos quais estávamos dispostos a nos dedicar só seriam de fato bem sucedidos se conseguíssemos colocar esta habilidade em prática.

Os anos se passaram e agora percebo que aquelas palavras, ditas numa manhã chuvosa de sexta-feira, eram de fato verdadeiras. O fato é que o cotidiano nos impõe decisões constantemente. Elas aparecem nas questões mais simples como planejar um final de semana com a família e extendem-se até intrincados desafios que nos deparamos nas empresas.

A habilidade de tomar decisões, para mim, é uma das mais importantes dentro daquelas exigidas a qualquer candidato. Isso porque você pode ser o mais talentoso gerente de marketing ou chefe de produto, mas se não souber tomar decisões acertadas cairá logo após alguns fracassos. Além disso, decisões devem ser tomadas no tempo certo sob pena de perder oportunidades. O presidente da Unilever passou a exigir que seus diretores passassem a tomar decisões de forma mais rápida quando percebeu que oportunidades estavam sendo desperdiçadas em idas e vindas, cálculos e previsões. Para ele, de nada adianta chegar a melhor solução quando já é tarde demais e por isso criou a seguinte regra: quando possuir 70% de certeza, decida!

Simples? Nem tanto assim. Primeiro porque é difícil saber quando se chegou aos 70%. Em seguida, percebe-se que neste ponto você tem pouco mais de 2/3 da informação, mas deve agir. É aí que surgem aqueles que realmente fazem acontecer. São gestores que percebem o momento de agir mesmo não tendo os dados completos atestando que a empreitada será um sucesso. São aqueles que conseguem adiantar-se aos concorrentes e lançar o produto com seis meses de antecedência, visualizando no share a importância daquela decisão que tornou o seu produto um pioneiro.

Nosso desafio, diante desta realidade, é saber a importância desta habilidade e passar a aprimorá-la a partir dos aspectos mais corriqueiros. Para que possamos tomar decisões é preciso que desenvolvamos, antes de tudo, autoconhecimento. É com ele que teremos a capacidade de avaliar se nossos passos estão sendo tomados, pelo menos, na direção certa.

Anúncios

2 comentários sobre “Tomar decisões

  1. Olha primo, adorei o texto aí. Vou tentar aplicá-lo no meu dia-a-dia… sou dessas que costumo me decidir só com 100% de certeza. Tá de parabéns, viu?! bjão

  2. Ai meu velho, blz?
    Show de bola teu texto, concordo e assino em baixo em tudo q falaste!!

    abração ai bruxo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s